sábado, 26 de dezembro de 2009

REPRODUÇÃO DO AMOR


no deserto das emoções
na fronteira do teu sorriso
no brilho dos teus olhos
no sabor, no carinho
na alegria das palavras
tuas
oásis de ternura
com chuva ou com sol
no estremecer da noite
segredas ao corpo a paciência
o abandono e o silêncio
da outra margem da vida
o amor se reproduz

4 comentários:

Elinton Wiermann disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ximbitane disse...

Ola!

mariam disse...

Agry,

um pequeno Grande poema! cheio de ternura, amor, desejo...

um abraço
e o meu sorriso :)
mariam

Ximbitane disse...

Mulungo, esse amor cristalizou com as bolas de Natal?