sexta-feira, 29 de agosto de 2008

DENÚNCIAS CRUZADAS




distante e próximo de ti
protegido pelo teu olhar
acarinhado pelo teu sorriso
exilado nos teus braços
Questiono o silêncio
Descrente, ostracizador
De dúvidas e inquietudes

datadas
adiadas e repelidas
atraídas e acarinhadas
num vai-vem constante
confirmador e céptico
de paixões e ciúmes
asfixiantes

7 comentários:

Anónimo disse...

ah nao conhecia este lado.

papoila

Bichinho disse...

Beijo fantasma...

Ximbitane disse...

Chame a policia
Os bombeiros, os voluntarios
Denuncie! traga, aproxime
Ame

Sereia disse...

Por pequenos momentos sinto o olhar do denunciador.
O silência deriva de um vai e vem constante de desejos translúcidos e espelhados na alma de quem se empreende numa cruzada de sentimentos intensos.

Beijo cruzadinho

Avid disse...

Descobertas... por trilhar.
Bjs meus

Sereia disse...

Voltei...não resisti..

Saudade é um pouco como fome. Só passa quando se come a presença. Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: quer-se absorver a outra pessoa toda. Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida.
Clarice Lispector

O Sussurrar do Corpo disse...

Um sussurro...