quinta-feira, 18 de junho de 2009

CIDADE DIVIDIDA


O bairro é robusto
de ferro e cimento
ruas bem iluminadas
pintadas de negro
mar à vista
vivendas de encantar
piscinas, viaturas
topo de gama
aves de rapina
ao cair da noite
abandonam restos
embalagens e comida
que outros procuram
no fundo do desespero

O outro é de caniço
sombrio e de terra batida
desesperançado de tudo
mabandidos à solta
linchamentos anunciados
estômagos e bolsos
recheados de nada
pessoas sem presente
desmantimentados
driblam a fome
mastigam raivas
cerram os dentes
sonham o futuro

2 comentários:

Berê disse...

POLANA CIMENTO X POLANA CANIÇO
TSC!

mariam disse...

Agry,

Belíssimo! este poema 'grito'
o mundo e as suas paradoxais realidades...

Deixo uma mão-cheia de cerejas e o meu sorriso :)
mariam

nota:já estava com saudades deste 'Universo' tão especial... mas tive alguns problemas informáticos rsrs