quinta-feira, 24 de julho de 2008

DUNAS DE TERNURAS

procurámos a ternura
em beijos trémulos
indecisos
corpos suados
viajantes de sonhos
percorrem
espaços de afectos




deserto de estrelas
dunas de ternuras
noites preenchidas
rasto melódico
imagem indelével
mais uma noite, mais um sorriso
aprisionado de silêncios



2 comentários:

Anja Rakas disse...

Mais uma noite aprisionada pela distância de corpos mas com o desejo presente em cada Duna de areia branca.

Muito sexy o poema.

Beijo angelical

Bia disse...

Docemente Sensual !

Mesmo estando assim tão perto... sentimo-nos tão longe... daquilo que procurámos!!


miminhos... atrevidos!