quarta-feira, 16 de setembro de 2009

RAMOS DE DESEJOS

debruçado na noite
na ternura da madrugada
abri as janelas

da esperança
despi as angústias
de palavras inúteis
na sonolência dos afectos
respiro o odor da tua pele
beijada de carícias
na memória dos encontros
recordo o perfume
dos teus seios
vejo nos teus olhos
ramos de desejos
da cor dos meus

4 comentários:

amor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
uminuto disse...

cores de amor. Lindo poema

uminuto disse...

obrigada pela visita. não sei se já nos encontramos, d efacto noutro canto da blogosfera
um beijo

AGRY disse...
Este comentário foi removido pelo autor.